quinta-feira, 27 de fevereiro de 2003

Há muito tempo acompanho a blogosfera. À semelhança das restantes redes sociais, os weblogs e o relacionamento entre os seus autores é diferente de país para país. As situações que melhor conheço, além da portuguesa, são a do Brasil e a dos EUA. Nestes dois países, o movimento dos weblogs funciona como uma verdadeira rede de conhecimentos. Os bloggers conhecem-se, visitam-se, citam-se e desenvolvem conversas interessantes online. Os encontros e discussões acontecem muitas vezes fora do ambiente virtual.

Em Portugal, este tipo de relacionamento não me parece frequente e usual. No entanto, hoje comecei a perceber que já podemos falar numa comunidade de bloggers portuguesa (uma entre várias que podem existir. Refiro-me à dos blogs sobre jornalismo). O António Granado comentou a crónica do Pacheco Pereira, intitulada O lugar da menor transperência, sobre os media. O Manuel Pinto apresentou a sua opinião sobre o assunto, sugerindo uma discussão mais alargada sobre o tema. O blog do CIMJ desafiou os dois a continuarem a discussão e o Pedro F. presentou a sua opinião, começando o post com os comentários dos dois bloggers já referidos.

Hoje senti-me como se estivesse num colóquio ou num debate, que se desenrolou num ambiente virtual, com todos os seus intervenientes em pontos geográficos dispersos. Agora só falta o encontro de bloggers que já tem data marcada: Setembro, na UM.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2003

Um jornal de Singapura criou um sistema diferente de conteúdos pagos. O acesso às notícias do jornal é pago até às duas horas da tarde. Depois, é gratuíto. Irá resultar? É de qualquer forma uma ideia interessante.

A notícia completa aqui.

Mais uma vez, a referência à coluna de Steve Outing, Stop the Presses. Um interessante texto sobre a inclusão de elementos multimedia em notícias de última hora. São citados alguns exemplos de bom trabalho e Outing defende que:

I'll admit that multimedia news is currently a mixed bag. While a handful of news organizations consistently turn out high-quality material, another group of companies is still in experimental mode and, frankly, not doing a great job yet. I liken today's environment for multimedia news to the days of the first Macintosh, PageMaker software, and laser printers. That new technology got a lot of people designing self-published printed newsletters, but much of their work was not great -- until they gained experience. It's the same with multimedia today.

No site Jornalistas da Web estão reunidos um conjunto de artigos sobre a compra do Blogger pelo Google.

Com a ajuda do Luís Sousa , dei-me conta de que o Jornalismo Digital completou um ano segunda-feira. Este blog começou por ser um trabalho prático para a disciplina de Seminário, no mestrado que frequento na UM. Hoje, é quase imprescindível no meu trabalho.
Num balanço rápido, percebo que uma grande quantidade de informação circulou já por este espaço e que muito aprendi com o JD, além de ter estabelecido contacto com gente muito interessante.
O meu entusiasmo pelos weblogs é facilmente percebido. Espero que o futuro reserve para os blogs algo de ainda melhor. E muito obrigada a todos os que visitam esta página!

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2003

Ainda no The Guardian, um interessante e divertido artigo sobre a compra do Blogger pelo Google. Um excerto:

The news that Google has bought Pyra, the company which enabled the phenomenal growth of 'blogging' (the publishing of online diaries or weblogs) has had the mainstream media in a spin all week. One can see news editors all over the world summoning reporters shouting 'What the **** is going on? What is this blogging stuff anyway?'

Em Portugal, o suplemento Computadores do Público também abordou o assunto.

O primeiro presidente "completamente ligado à internet" toma amanhã posse na Coreia do Sul. A expressão está entre aspas, porque as palavras são de Roh Moo-hyun, recém-eleito presidente da Coreia do Sul, um país onde 70% dos lares têm acesso à internet em banda larga.
Conta o The Guardian:

Polls showed that the victory in December of Mr Roh - who claims to be the world's first president to understand HTML website coding - came from a huge surge of support from twenty- and thirty-somethings. In South Korea, where elections are usually decided by regional rather than generational loyalties, this was a dramatic development.

It was not the last. An OhmyNews report on an accident in which two girls were crushed to death by a US army tractor prompted one surfer to call for demonstrations. Within a week, South Korea was witnessing the biggest anti-US protests in its history.

A crónica de Eva Domingez no La vanguardia, chamada El quarto bit (muito interessante do ponto de vista do jornalismo digital. Eva é, de resto, uma das participantes no E-Media Tidbits) passou a ser paga. É uma pena!

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2003

Dave Winer, considerado o mais antigo blogger ainda activo, é o responsável pela gestão do Weblogs at Harvard:
the place where we point to the developments in the developing World O'Weblogs at Harvard University.

Além de facilitar o acesso à criação de weblogs a todos os que possuam um endereço de correio electrónico da Universidade, este site pretende ser um espaço para a divulgação de conclusões e resultados da criação destas novas ferramentas. Alguma universidade portuguesa interessada? Muitos dos bloggers portugueses que conheço (a grande maioria, aliás) estão ligados a instituições de ensino superior.

Dica de eCuaderno.

O Contra Factos e Argumentos está de parabéns. O blog que começou por ser uma newsletter completou um ano. Parabéns, Pedro!

A notícia do fim de semana na blogosfera: a empresa que gere o Google comprou a Pyra Labs, dona do Blogger e do Blogspot (o espaço onde muitos blogs estão alojados). Há muito é conhecida a simpatia que o Google manifestava em relação aos blogs, mas até agora, não se sabe ao certo qual a estratégia da empresa ao comprar esta ferramenta.
Dan Guillmor, que avançou com a notícia em primeira mão, reuniu também algumas opiniões sobre o tema. Quanto às motivações do Google, resta esperar. Eu estou animada. Sou uma utilizadora assidua do Google, não só como motor de pesquisa, mas o Google News.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2003

Responsáveis pelos media antecipam um futuro brilhante. É o título da Stop the Presses, a coluna de Steve Outing no E&P.

What's to become of online news publishing in the next two to three years? Well, if 20 of the industry's European leaders know what they're talking about:

* A business model will emerge for online news operations that works, and makes money.

* The industry will fairly quickly begin to tap its revenue potential. (Sites are current tapping only 20%-30% of their revenue opportunities, the group estimated.)

* Media-company top management ranks will see a swift change, with traditionalists replaced by executives who understand how the Internet fits into the big picture.

* Advertising will remain the dominant online revenue source, with paid content supplementary.

* Most pure paid-content models on the Web will be shown to be failures.

* Better integration of print and online will finally take shape.


São resultados de uma pesquisa realizada entre 20 executivos responsáveis por meios de comunicação social e que recentemente participaram num encontro sobre o tema em Zurique.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2003

Ainda sobre o assunto do post anterior, alguns jornais norte-americanos estão a reunir endereços de correio electrónico de leitores, que irão utilizar sempre que necessitarem de recolher comentários e opiniões sobre determinados temas. É um projecto organizado pela Associated Press Managing Editors. Recentemente, um jornal usou este método:

When the Norfolk Daily News wanted to gauge reader reaction to the Nebraska state-budget shortfall several weeks ago, editors were able to contact dozens of residents almost immediately, compile their opinions quickly, and publish the results right away.

Eu acho que agora os jornalistas começam a perceber como os leitores os podem ajudar.

A participação dos leitores na vida do jornal foi, durante muito tempo, praticamente inexistente. Mas com a internet a situação aprece começar a inverter-se. Os tornam-se produtores de notícias (e não jornalistas) e começa a existir alguma interactividade entre jornalistas e os seus públicos. Destaco o trabalho desenvolvido por dois sites jornalísticos utilizando material dos seus leitores:

:: a BBC News está a pedir aos leitores que enviem fotografias para que percebem as perspectivas que têm sobre o mundo:

Are you going to the march against military action in Iraq? Are you affected by the congestion charges about to be brought in, in London? Your part in the news is important to us.
BBC News Online wants to report the world from your perspective.


:: a Belo está a criar uma base de dados, pesquisável, com fotografias e comentários de várias pessoas sobre o acidente com o vaivém espacial.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2003

Ainda da América Latina, o Clarín tem um weblog. Chama-se Extras e define-se:
Este es un espacio abierto y gratuito para compartir información y links interesantes; para opinar, debatir y cruzar información sobre tecnología y tendencias.

O primeiro artigo do novo blog aborda a temática desta nova ferramenta de comunicação.

Dica de Contra Factos.

Não conhecia esta revista mexicana, chamada Razon Y Palabra. Além de um texto interessante de João Canavilhas, investigador da Universidade da Beira Interior, denominado Webperiodismo: Construyendo Noticias con Texto Inteligente, encontrei um número todo dedicado ao jornalismo digital na América Latina. Destaco deste texto: Periodismo digital y la relación con los usuarios en la era digital.

Dica de Jornalismo e Comunicação.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2003

Um weblog de jornalistas da região norte-fulminense. Chama-se Urgente! e aborda assuntos da actualidade noticiosa, assim como temas relacionados com jornalismo.

Dica de Mordendo os cães de guarda.

A segunda edição da coluna Blogonomía, de José Luís Orihuela, aborda um assunto que se mantém ao longo das várias discussões sobre weblogs: como ganhar dinheiro com esta ferramenta. O professor espanhol destaca algumas formas:
:: weblogs temáticos
:: bloggers de exito contratados por empresas
:: reconversão de colunitas em bloggers
:: serviços para weblogs
:: os B-Blogs, ou seja, weblogs de empresa

São, de facto, formatos que permitem considerar algum retorno para o seu autor, pelo menos no que diz respeito ao tempo dispendido na criação do blog. Mas parece-me que, em Portugal, ainda estamos muito longe desta possibilidade.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2003

Descobri hoje o Swiki, uma ferramenta para a criação de páginas que se assemelham a weblogs colectivos, mas cujo objectivo é actuar como uma rede de partilha de conhecimentos. Ao que consegui perceber, o Swiki baseia-se num conceito criado, em 1995 por Ward Cunningham, chamado WikiWikiWeb.
À semelhança dos weblogs, o Swiki permite a criação de página e a hospedagem das mesmas num servidor. A apresentação gráfica é muito básica, mas o conceito parece-me muito interessante. O melhor exemplo que encontrei foi a Wikipedia, uma enciclopédia em várias línguas (incluíndo o português), com conteúdos totalmente criados por voluntários. Em alguns casos, são pessoas com alguma formação na área sobre a qual escrevem.

Dica de Contra Factos.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2003

O Tripod, site integrado no grupo Lycos/Terra, já tem disponível software para a criação de weblogs. Por enquanto, reservado a quem tem um subscrição paga.
Dica de Blogroots.

Os jovens preferem a internet como fonte de informação, concluí um artigo publicado no News Day. Vários jovens expressam a sua opinião e explicam porque preferem a web: a rapidez da informação é referenciada algumas vezes. Os media procuram adaptar-se a este novo público. Deixo, a título de curiosidade, o destaque da notícia:

If you're 18 to 34 and reading this, your secret's safe with us. Many young adults are rejecting the traditional news media

Dica de Media News.